Praia do Forte

HistóriaHistory

Foto: Adriano Paiva

A antiga aldeia de pescadores deu origem ao que é hoje Praia do Forte, um lugar que ainda preserva características rústicas, com detalhes requintados e modernidade. Acredita-se que a formação do vilarejo tenha começado em torno da fortaleza que o fidalgo português Garcia D’Ávila mandou construir, ainda no século XVI, para dar mais proteção ao lugar. Tinha a finalidade de armazenar as mercadorias que chegavam à costa da colônia, pelo mar, e que depois seriam enviadas para Salvador. Muitas famílias começaram a se instalar na região atraída pela chegada de mudas de côco que os colonizadores portugueses traziam da Ásia. Alguns homens se dedicaram ao plantio e colheita, outros se tornam marinheiros ajudando na travessia de pessoas e mercadorias no Rio Pojuca, e outros ainda, dedicaram-se à pesca. Era o início do povoamento das terras próximas ao Forte.

Primeira fortificação portuguesa militar e residencial do Brasil, o Castelo Garcia D’Ávila ou a Casa da Torre, como também é denominada, é um dos mais importantes e significativos monumentos do patrimônio histórico e cultural brasileiro. Por suas características medievais, é considerada a única construção do gênero nas Américas. O Castelo começou a ser construído em 1551 por Garcia D’Ávila, que chegou à Bahia em 1549, com o primeiro governador geral Tomé de Souza. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, em 1938. Hoje é um dos principais pontos turísticos de Praia do Forte. Representado por suas ruínas, o Castelo oferece ao visitante uma bela vista para o mar. A Capela de São Pedro dos Rates é a parte mais antiga – e mais preservada – do histórico Castelo. Conhecida por Capela de Todos os Santos, deu origem à sede e só foi concluída em 1624.

Em 1835, todo o conjunto foi abandonado pelos descendentes de Garcia D’Ávila. Após as obras de recuperação, na década de 1980, o Castelo foi transformado em fundação e hoje funciona como Parque Histórico Garcia D’Ávila. Há no local um museu que mostra todo o processo das obras de recuperação das ruínas e tem um acervo precioso de louças portuguesas e peças indígenas que foram recuperadas durante as escavações e catalogadas pelo Iphan. O parque é visitado por estudantes e recebe milhares de turistas anualmente.

Outro cartão postal de Praia do Forte é a Capela de São Francisco de Assis. A igrejinha, hoje toda recuperada, fica em frente à praia do Porto. Contam que foi construída pelos pescadores em 1900. No altar estão as imagens de São Francisco de Assis, São Benedito e Nossa Senhora da Conceição, e nas paredes telas do pintor baiano Carlos Bastos retratando a via sacra. A sua localização privilegiada, compondo com o mar e as embarcações, é o cenário ideal para a realização de casamentos, não só dos nativos, mas de visitantes de diversas partes do Brasil que escolhem Praia do Forte para casar.

The former fishing village originated what today is called Praia do Forte, a place that still preserves rustic characteristics, with refined details and modernity. It is believed that the village creation has started around the fort that the noble Portuguese Garcia D´Ávila asked to build, still in the XVI century to give the place more protection. It had the purpose of storing goods that came to the coast of the colony, by sea, and that later would be sent to Salvador. Many families started to settle in the region attracted by the coconut se seedlings that the Portuguese colonizers brought from Asia. Some men were dedicated to the planting and harvesting, others become sailors helping with the crossing of people and goods across Pojuca River, there were the ones who dedicated themselves to fishing activities. It was the beginning of settling of lands around the fortress.

Being considered as the first military and residential fortification in Brasil, Garcia D´Ávila´s castle or Casa da Torre, as it is also denominated, is one of the most important and significant monuments of historical and cultural Brazilian heritage. For its medieval characteristics, it is believed to be the only edification of its kind in the Americas. The castle´s building started in 1551 by Gargia D´Ávila, who arrived in Bahia in 1549, with the first general governor, Thomé de Souza. It was registered and put under governmental trust by IPHAN – Brazil´s Institute for Historical and artistic heritage, in 1938. Currently is one of the most important touristic sites in Praia do Forte. With its scenery surrounded by ruins, the castle offers the visitant a beautiful view of the sea . Known as Capela de Todos os Santos, it originated the head – office and it was only finished in 1624.

In 1835, the entire complex was abandoned by Garcia D´Ávila´s descendents. After the renovations, in the 80´s, the castle was transformed into a foundation and today is the Garcia D´Ávila´s Historic Park. On the site, there is a museum that shows all the steps for the renovations of ruins and has a collection of precious Portuguese and indigenous ware that were recovered during the excavations and catalogued by IPHAN. The park is visited by students and receives thousands of tourists annually.

Another must see in Praia do Forte is São Francisco de Assis chapel. The small church, today totally renovated, is located in front of Porto beach. It is told that it was built by the fishermen in 1900. At the altar, are displayed St. Francisco de Assis, St. Benedito and Nossa Senhora da Conceição, on the walls paintings by Bahian artist Carlos Bastos that portrait the Stations of the Cross. Its privileged location, composed also by the sea and boats is an ideal scenery for weddings, not only of the locals, but also of visitors coming from all parts of Brazil that choose Praia do Forte as a special place get married

Foto: Adriano Paiva
Foto: Adriano Paiva
Foto: Eduardo Moody
Foto: Eduardo Moody
Clique aqui para ver outros destaques de Praia do Forte!Click here to see other highlights of Praia do Forte!
Turisforte © Todos os direitos reservados