Comunicação Blog

Castelo Garcia D’Avila reabre com Protocolo de Higienização e Sanitização rigoroso

O novo equipamento, com tecnologias de última geração e conteúdo multimídia de alta resolução, oferece uma nova experiência aos que visitam o parque histórico.

postado em 11 FEV 2021
Castelo Garcia D’Avila reabre com Protocolo de Higienização e Sanitização rigoroso

Compartilhe:

Depois de quase um ano fechado o Castelo da Torre de Garcia D'Ávila reabre para o público com um Protocolo de Higienização e Sanitização rigoroso.

A partir desta quinta-feira (11) os visitantes e moradores da Praia do Forte, em Mata de São João, voltarão a usufruir de um dos mais importantes equipamentos culturais e históricos do país. O Museu do Castelo Garcia D’Ávila, além de passar por reforma, ampliação e receber novas peças arqueológicas e de arte, será reaberto para visitação com inovações tecnológicas, que permitirão maior interatividade e mais informações. 



Qual valor para entrar e o horário de funcionamento do Parque do Castelo Garcia D'Ávila?

O equipamento, que também recebeu nova iluminação no sítio arqueológico, ficará aberto para visitações das 10 às 16:30h, de quarta a domingo. Os ingressos custam R$ 30 inteira e R$ 15 meia. As intervenções tiveram investimento de cerca de R$ 3 milhões, com verba do Ministério do Turismo. 

O novo museu oferece acessos a vídeos com mapas históricos, desenhos e gravuras que remontam o estilo de vida no Castelo. Outras novidades são os totens com projeção e as parabólicas sonoras, onde são exibidos depoimentos de pesquisadores, arquitetos, artistas, moradores da região e de conselheiros da Fundação Garcia D’Ávila. 

Se, por um lado, a tecnologia possibilitará uma ampla interatividade e potencializará as informações históricas, a exposição com diversos utensílios, peças de cerâmica e até animais empalhados, traz um contato real com a história da Casa da Torre. Todos os objetos foram encontrados no Sitio Arqueológico. Parte sofreu restauração e parte está exatamente como encontrada.

Iluminação - O projeto de iluminação, assinado por Irma Vidal, permite uma observação dos mínimos detalhes, tanto dos pequenos objetos expostos no Museu, quanto das grandes estruturas das ruínas da Casa da Torre. Uma maquete restaurada do Castelo, projeto do miniaturista Léo Furtado, propõe uma visita fantástica à edificação medieval, no seu apogeu. 

“O Museu foi transformado em um espaço inovador, com tecnologias de última geração, projetores de alto brilho, computadores automatizados, sonorização ambiente, interatividade e conteúdo multimídia de alta resolução”, explica Rose Lima, a arquiteta e curadora do projeto expográfico, junto com Fritz Zehnle Jr. 

Vídeo-mappings - Em uma próxima fase, que deve acontecer ainda em fevereiro, o público poderá assistir, após o pôr do sol, a exibição de vídeo-mappings. São projeções de vídeos de grandes dimensões, nas paredes da frente (parte da Capela) e detrás do Castelo, com narrativos da história montadas pelos VJs Gabiru e Spetto. 

Parque histórico - Um dos mais importantes parques históricos e culturais do Brasil, o Castelo Garcia D’ávila, erguido em 1551, é a primeira grande edificação fortificada brasileira. Abriga a história da Casa da Torre de Garcia D’Ávila e uma importante parte da história do país. “Nossa proposta ao visitante é uma imersão na reconstrução da narrativa da 'saga dos Garcia D’Ávila', que deve ser entendida enquanto instrumento de cultura, educação e informação”, destaca Rose Lima. 

A interatividade nos Sítios Históricos, Museus e Espaços Culturais é uma tendência mundial. No Brasil, as exposições com interatividade estão se tornando cada vez mais frequentes, pois aproximam o usuário dos conteúdos e do próprio espaço. “A ideia é propiciar tanto uma estadia confortável aos visitantes, como acesso a conteúdos históricos e artísticos. Um convite a uma viagem sensorial com experiências marcantes, significativas e contextualizadas”, convida a  curadora.